Sergio Vilar

writes about dev stuff

Como é usar Dvorak como layout de teclado?

02 Oct 2017

Teclado Dvorak

Como eu aprendi Dvorak?

Era 2014 e os primeiros sinais de tendinite começavam a aparecer. Eu tinha me interessado recentemente por teclados mecânicos por influência de um colega do trabalho e este mesmo colega também tinha me apresentado o Dvorak, meio sem compromisso, algo ao o qual ele tinha interesse de testar.

Me perguntei porque não aprender um layout de teclado novo e parti pro abraço, entre as alternativas ao QWERTY o Dvorak me chamou mais a atenção acho que por todo apelo de ter a concentração digitada em apenas uma linha do teclado.

Antes de efetivamente começar o processo de aprendizado eu tomei duas decisões bastante radicais: eu não iria recorrer ao QWERTY se precisasse e se eu fosse passar a usar um novo teclado, eu teria que pelo menos digitar na mesma velocidade e com touch typing.

Touch typing é basicamente quando você sabe a posição das teclas através de memória muscular, ou seja, você não precisa olhar para o teclado para saber onde cada tecla está.

A primeira decisão foi importante para acelerar meu aprendizado, visto que praticamente tudo que se é necessário é aprendido muito mais rápido.

A segunda decisão foi um tanto óbvia já que além de me poupar da tendinite eu queria manter meu ritmo e condições de digitação.

Baby steps

Os primeiros dias foram os piores, mas avançar no Dvorak keyboard training me ajudou bastante. Óbvio que eu tive uma queda na minha produtividade, mas por incrível que pareça o problema foi mais na comunicação com outros membros da equipe do que na programação propriamente dita.

Além de mudar as teclas do meu teclado externo eu também reposicionei as teclas do meu notebook assim eu pude ter uma imersão e acelerar meu processo de aprendizado.

Como desde o princípio que mantive a decisão de digitar com touch typing eu errava muito as teclas, mas ao fim da segunda semana meu desempenho com o novo layout de teclado já era aceitável.

Obstáculos

Teclas físicas

O primeiro obstáculo foi obviamente a posição das teclas físicas, então tive que cuidadosamente ler a respeito de como trocar as teclas do meu mac de posição, por exemplo.

Acentuação

Existem alguns layouts de teclado para Dvorak em português, mas por ser muito diferente do original decidi não utilizar. Foi aí que veio um dos problemas mais sérios que tive: acentuação.

Pode parecer besteira pra você que está acostumado com um teclado ABNT ou ABNT2, mas o teclado DVORAK padrão do macOS não suporta acentos a não ser por combinações bem ortodoxas de teclas, o que a meu ver não é viável.

Além do macOS o Windows também não é um ambiente favorável à proliferação de digitadores em Dvorak, apesar disso encontrei um site que mantém à disposição layouts de teclado não-convencionais e no meio deles um teclado Dvorak Internacional para Windows.

Teclas de atalho

Além disso o pesadelo que tomou conta de mim nas primeiras semanas foram as tão famigeradas teclas de atalho.

Pra falar a verdade, até hoje eu ainda não consegui resolver esse problema definitivamente no Windows. Porém, no macOS eu descobri um layout de teclado nativo do sistema chamado Dvorak-QWERTY.

O Dvorak-QWERTY é um teclado Dvorak que ele emula um teclado QWERTY no momento que você pressiona a tecla Command, assim você pode manter todos os atalhos de teclado onde eles costumavam estar.

O Dvorak-QWERTY foi uma mão na roda, o único problema é que ele não suportava acentos. Eu decidi então procurar uma forma de fazer ele suportar os acentos, com o Karabiner criei meu próprio DVORAK-QWERTY International, que pode ser baixado aqui.

Tudo funcionou perfeitamente até então com exceção do Atom, nada que um pequeno hack no init script não resolvesse.

Resultados

O Dvorak ajudou você a eliminar os sintomas da tendinite?

Se me ajudou eu não posso dizer, mas a mudança de hábito me fez repensar meu setup e minha saúde enquanto a trabalho. Comprei uma cadeira e uma mesa apropriada, assim como suportes para mouse e teclado.

Você digita mais rápido com Dvorak?

Não sei. Não parei pra testar nos dias atuais. Mas lembro que na época de mudança eu estava digitando cerca de 80% da velocidade a qual eu digitava com QWERTY.

Você ainda digita em QWERTY?

Sim, apesar de não digitar mais na mesma velocidade e trocar algumas teclas pelo Dvorak, eu ainda digito QWERTY com touch typing.

Gostou e quer tentar o Dvorak?

Me conta mais sobre sua experiência lá no Twitter.