Sergio Vilar

writes about dev stuff

O que eu aprendi sobre trabalhar em casa

03 Dec 2014

Depois de anos me locomovendo diariamente aos escritórios das empresas nas quais trabalhei, tendo uma equipe presencial pra trocar uma idéia e tomar um café, tive que lidar com o choque de trabalhar sozinho de casa. Nesse meio tempo aprendi algumas coisas importantes.

1. “Queria ficar de casa hoje” talvez não seja uma boa idéia

Poder acordar e trabalhar com o cabelo assanhado e vestindo uma cueca box pode parecer a melhor oferta de trabalho do mundo, mas nem tudo são flores. Quando eu não trabalhava remotamente, repetia inúmeras vezes pra mim mesmo que queria ficar de casa naqueles dias chatos, sem quase nada pra fazer. Eis que de repente surge a oportunidade de trabalhar de casa todo santo dia! Olha só que maravilha.

Trabalhar em casa pode ser complicado devido a uma série de fatores, os mais comuns são aqueles que atrapalham a sua concentração ou tomam sua atenção, como por exemplo:

  • Filhos
  • Estação de trabalho em cômodo comum da casa (ex: sala, quarto)
  • Outras pessoas em casa durante o horário de trabalho
  • Animais de estimação
  • Barulho externo (na rua, vizinhos, etc)

Fora isso, ao começar a trabalhar em casa é preciso se certificar de mais alguns pontos:

  • Conjunto de mesa + cadeira confortáveis
  • Redundância de internet é fundamental
  • Climatização do ambiente

Os dois últimos pontos listados acima vão aumentar seu custo mensal para poder trabalhar em casa, isso nos leva ao próximo ponto.

2. Coworking pode ser a solução

Eu pessoalmente tive quase todos os problemas da primeira lista logo de cara, mas de certa forma dava pra ir levando. A gota d’água veio quando a NET me deixou sem trabalhar o dia todo algumas vezes, o que me fazia perder reuniões via Skype e ter de compensar durante o período da noite.

Era impossível trabalhar desse jeito, então recorri ao Tot Coworking enquanto instalava uma redundância de internet e acabei ficando por lá mesmo. A principal vantagem do coworking é poder interagir com outras pessoas, trocar uma idéia e tomar um café. Mas também o espaço, a climatização e o silêncio já preenche praticamente todas as necessidades de um home-officer.

As desvantagens do coworking

O principal problema do coworking é não ter todo o seu setup disponível, monitor e teclado externos por exemplo, e você que é desenvolvedor, meu amigo, sabe que um monitor externo faz uma diferença danada. O fato de só poder usar seu notebook e fones de ouvido acaba te dando um setup mais minimalista e portátil, mas nem sempre isso é uma vantagem.

O outro problema do coworking é que se você faz muitas reuniões via Skype (ou hangouts whatever), você vai precisar usar muito a sala de reunião e dependendo do pacote que você fechou com o coworking, isso pode te dar um custo adicional que talvez não compense.

3. A rotina é sua melhor amiga

Disciplina é um problema pra quem começa a trabalhar em casa, ter por perto um videogame, uma TV passando filmes legais e uma cama pra tirar um cochilo é sempre uma tentação. A melhor forma que eu encontrei de evitar essas e outras distrações foi estabelecendo uma rotina.

Começo a trabalhar pontualmente às 10h00 da manhã, mas antes peço meu almoço e checo email e minhas redes sociais. O almoço chega por volta das 11h30 e eu almoço ao meio dia e meia assistindo algum filme na TV. Depois de meia hora de terminar o almoço volto a trabalhar e assim continuo até as 19h00, às vezes me estendo.

Manter a rotina ajuda bastante a manter a produtividade, é importante também mesmo quando estar sem job manter atividades relacionadas ao trabalho, como lendo artigos relacionados ou estudando uma nova tecnologia.